13.4.07

LenitahUP Ling | o avatar e a RL

(Parece que a parte de elaborar um BREVE artigo” não foi conseguida mas aqui vai.)



Já muitos dizem que é cada vez mais difícil separar a Real-Life da Second-Life. Defendem que RL e SL influenciam-se mutuamente. As opiniões só se dividem quando se questiona se isso é positivo ou negativo.
Na verdade são cada vez mais os casos de empresas da RL que resolvem se fazer representar na SL. Até a Greenpeace faz campanhas de alerta ao aquecimento global. Bandas de música saem da garagem e dão espectáculos. A agência de notícias Reuters planeia levar as suas notícias em forma de texto, áudio e vídeo sobre o mundo real para dentro do Second Life. Surge a necessidade de se criar avatares “profissionais”. Avatares que são na maioria uma cópia do que se é na RL. (Talvez) Uma limitação justificada por esse avatar estar associado a um empreendimento com alguma seriedade e com objectivos bem definidos; na sua maioria económicos. Neste caso, é encarado como uma simples extensão do trabalhador que se encontra na empresa, fechado oito horas por dia num escritório. O próprio SL funciona como uma extensão do RL.
Mas e quando o avatar não tem responsabilidades para com instituições ou empresas? Será que continua a ser uma cópia perfeita da pessoa que está do outro lado do computador a “teclar” e a comandar o avatar?




Começo por falar dos avatares que estão no SL em trabalho; que estão associados a uma empresa ou instituição da RL. Por estarem no SL com uma postura mais profissional e menos de entretenimento, esses avatares se calhar não sentem tanto a necessidade de evoluir na sua aparência e na sua postura no SL. Contudo, com o passar do tempo torna-se irresistível comprar umas roupinhas novas já que felizmente isso não implica necessariamente gastar dinheiro ou ajustar apenas as formas do corpo. Mas não só procurando o corpo perfeito ou o estilo mais cool. Também podem optar por uma aparência mais caricata e menos usual. Concordo e até compreendo que não se libertem tanto como outras personagens que passeiam pelo SL muito devido às suas responsabilidades profissionais.
Quanto à personalidade do avatar, mesmo alterando ligeiramente o seu aspecto, continua a necessidade de se manter fiel às suas origens. Os gostos, as ideias, as crenças...continuam na sua maioria iguais ao criador do avatar. Como já tinha referido em cima, neste caso o avatar é em grande parte uma extensão da RL na área profissional e consequentemente nas outras áreas também.



Mas quando o avatar é criado para pleno entretenimento, abrem-se as portas a uma verdadeira Second-Life. Não concordo com as pessoas que dizem que se mantêm exactamente iguais na SL e na RL. Se considero isso muito difícil para aqueles que têm certas obrigações profissionais no SL, considero utópico quando falamos de pessoas que buscam puro entretenimento.
Em primeiro lugar, o aspecto do avatar. Apesar de ao entrarmos no SL escolhermos um dos avatares disponíveis, podemos depois modificá-lo totalmente. Considero aqui três hipóteses diferentes:
- O avatar segue os traços principais do aspecto físico do seu criador como por exemplo a cor do cabelo, da pele e dos olhos. Aqui acho quase impossível não se fazerem pequenos retoques que favorecem o avatar; retoques que possivelmente são desejados na RL. O mais certo é um avatar feminino ter sido criado por uma mulher da RL e um avatar masculino ser criado por um homem na RL.
- O avatar quase nada tem a ver com a RL. Não precisa de ser necessariamente um avatar perfeito. Pode ser um avatar baixo, gordo e com um nariz enorme; uma caricatura do “criador” do avatar ou outra coisa qualquer. Contudo também pode ser uma linda rapariga de cabelos esvoaçantes ou um rapaz todo musculoso com pinta de surfista. Aqui um avatar masculino não tem necessariamente de corresponder a alguém da RL também do sexo masculino.
- O avatar nada tem a ver quer com a pessoa da RL que está por trás dele a manipulá-lo. Abrem mão de uma figura humana. Aqui dão asas à imaginação e tudo é possível. Podem optar por encarnar um ser alienígena. A maioria dos que optam por ter um avatar sem traços humanos, tornam-se animais comuns comos gatos, galinhas... Mas também ainda encontramos a circular pelo SL robôs ou sereias... neste caso a imaginação é realmente o limite.
Falamos agora da personalidade do avatar comparando-a à personalidade do seu “criador”. Neste caso considero duas hipóteses quando se entra no SL. Ou queremos levar a nossa personalidade da RL para a SL ou desde o início mudamos a nossa atitude e maneira de ser e pensar. Não temos de ser no SL necessariamente alguém que gostaríamos de ser na RL. Podemos mudar a nossa personalidade; ser simplesmente alguém diferente e tirar proveito de todas as potencialidades que o SL nos oferece.


E para concluir quero só falar um pouco do meu exemplo. No princípio pensei que a LenitahUP Ling seria algo semelhante à Helena Borges. Mas logo na manipulação do aspecto do avatar percebi na liberdade que o SL me oferecia. Apesar da minha presença no SL ser um misto de institucional e entretenimento, posso dar asas à imaginação até certo ponto. Aos poucos assisti ao distanciamento cada vez mais visível entre a Lenitah e a Helena. A Lenitah, apesar de ter uma figura humana que penso manter, usa muitas vezes acessórios. Descobriu uma paixão por asas de todos os tipos; asas de anjos, asas de borboleta... A Lenitah também é desinibida e até se desenrasca bem no inglês. A Helena tem vergonha dos erros que pode cometer e não fala inglês com qualquer pessoa. A Lenitah adora fazer surf e windsurf. A Helena não tem jeito nenhum para desportos radicais. E muitas mais diferenças se podiam nomear. E estou convicta que quanto melhor conheço o SL e mais vezes vou dando vida à Lenitah ao frequentar o SL, mais diferentes se vão tornar a Helena e a Lenitah.

4 comentários:

Chiclete_ou_Chicla disse...

De facto, a questão do avatar tem muito que se lhe diga... Uma das coisas que mais me fascina é o facto de uma única pessoa poder criar mais do que uma "personagem". No SL podemos ser quem quisermos e acho que no teu caso, como tu própria referes, as diferenças entre a personagem e o criador são bem nítidas! E olha que o teu "Frankenstein" saíu bem bonitinho...! :)

Rita-Sousa disse...

Concordo com a Tânia... acho que a questão do avatar é realmente mt complexa. Seria preciso analisar a fundo o SL e os seus residentes. Mas é uma questão mt pertinente. Não sei se será possível afastarmo-nos completamente da RL, penso que pelo menos um pco das nossas características mais vincadas acabam por transparecer no avatar.. mas não posso ter certezas de nda se calhar existem pessoas capazes de uma total separação entre a RL e a Sl.

vânia disse...

Falando unicamente da minha experiência pessoal: no meu próprio avatar e no que vou vendo. Penso que fisicamente qualquer pessoa acaba por dar asas à sua vontade e criar um avatar diferente tanto quanto deseja, independentemente de representar uma instituição ou não. Já que em SL podemos mudar tudo, porquê não?

Em relacção à personalidade, é engraçado que sinto uma espécie de oposto a ti. Se tu dizes que a Helena e a Lenitah são cada vez mais diferentes, são cada vez mais 2 personalidades e não uma personalidade só. Eu vejo a Lili mais próxima de mim. (Nem sei se chegaram a ser distantes, é provável que não...) Quando entrei, fantasei que poderia ser 2!! "Já que posso ser outra, podia ser assim e assim...", mas à medida que o tempo passa, apercebo-me que a Lili não consegue ser assim tão diferente de mim. Claro, um realce "disto" em vez "daquilo"...mas é cada vez mais eu! (Ou será que estou é adoptar as características que julguei da Lili sem saber?! =O LOL)

Paulo Frias aka PalUP Ling disse...

Uff (ai essa capacidade de síntese :)
A questão dos avatares referida aqui pela Helena, e também abordada noutros artigos, é das mais enigmáticas e interessantes em SL.
O blog de Wagner James Au, que conhecem, aborda sistematicamente este tema, numa secção em que cada avatar se apresenta. É IMPRESSIONANTE a riqueza e a criatividade que se encontra em SL!
Num ambiente aparentemente mais mimético da realidade (por questões económicas e outras) continuamos a ser surpreendidos com brilhantes exercícios de concepção de personagens fantásticos (aqui a palavra fantástico não tem a vre com asas, com armas, com pernas, com gordura, com galinhas... ;) mas sim com características até comportamentais que nos devem fazer pensar...
Segundo alguns estudos, muitas das personagens femininas mais "bem sucedidas" em SL são homens em RL! A questão do género já nos dá muito material para reflectir sobre o problema da cosntrução das id's em SL.